Error message

Notice: Undefined index: und in sacred_space_retreat_preprocess_page() (line 137 of /home/patc1321/public_html/sacredspace.ie/profiles/annerprofile/modules/custom/sacred_space_retreat/sacred_space_retreat.module).

Error message

Notice: Undefined index: und in sacred_space_retreat_preprocess_page() (line 137 of /home/patc1321/public_html/sacredspace.ie/profiles/annerprofile/modules/custom/sacred_space_retreat/sacred_space_retreat.module).
  • Seja benvindo(a)

    A Quaresma é uma grande oportunidade para fazer um retiro
    • Benvindo/a ao Retiro da Quaresma deste ano. Um retiro oferece sempre uma oportunidade para pararmos das preocupações e do stress da vida do dia-a-dia, para reflectir em oração sobre o estado actual das nossas relações, com Deus, com as pessoas à nossa volta e com o mundo. O tempo quaresmal, em que nos preparamos para celebrar o Mistério Pascal, a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo na Páscoa, é uma grande oportunidade para fazer retiro.
    • Este ano, para ajudar e guiar a nossa oração, vamos refletir nos acontecimentos da Paixão, tal como os testemunharam as mulheres que acompanhavam Jesus. As suas vidas foram transformadas pelo encontro com Jesus. O Evangelho de João refere-se às mulheres que estiveram aos pés da cruz, numa última vigília durante o sofrimento de Cristo. Algumas, conhecêmo-las pelo nome: Maria de Magdala, Maria, a mãe de Tiago e de José, Salomé e, sem dúvida, Maria, sua Mãe. Algumas são anónimas: o Evangelho de Lucas refere-se às filhas de Jerusalém que choravam por Ele, durante o caminho para o Calvário. Outras, ainda, tiveram um papel a desempenhar no drama que se vai seguir: Marta e Maria de Betânia, a criada que se encontrava no pátio do Sumo Sacerdote e a mulher de Pilatos.
    • Ao rezares com este material, esperamos que, também tu, possas encontrar Jesus de forma profunda e que este encontro tenha um efeito transformador na tua própria vida. Esperamos, também, que tenhas uma consciência mais profunda de Deus que opera em ti. 
  • Aspectos práticos

    Quanto tempo pensas que podes dedicar a cada sessão do retiro?
    • Começamos com algumas sugestões práticas que podem ajudar caso nunca tenhas feito um retiro como este.
    • A primeira coisa a considerar é que bom decidir antes e procurar dar sempre o mesmo tempo a cada reflexão. Não desistas à primeira se tens de lutar para rezar, nem continues por muito mais tempo se a oração parece estar a correr bem. O material apresentado para cada sessão dá mais ou menos para 15 minutos, mas podes querer dar mais tempo ao longo do dia para te preparares ou rever ideias do retiro que foram surgindo. Se precisares de recursos extra para te preparares para a oração, no site do Passo-a-rezar encontras exercícios de respiração e exercícios para serenar.
  • Mais aspectos práticos

    O objectivo do retiro é rezares onde quiseres
    • Talvez tenhas ideia de qual é a melhor altura do dia para rezar. Somos diferentes, há pessoas que preferem rezar no princípio do dia, outras ao fim da tarde e outras ao meio do dia, como uma paragem. Também é bom pensares onde vais fazer este retiro – o objetivo deste retiro é dar-te a possibilidade de rezares em qualquer lugar que queiras – a caminho ou no regresso do trabalho, fora de casa a passear, em casa ou com outros/as. Resolve e faz como for melhor para ti.
    • Finalmente, pergunta-te o que te leva a fazer este retiro. Quais são os dons e graças que esperas receber de Deus durante estes tempos de oração. Certifica-te que começas a oração pedindo estas graças a Deus ou qualquer outra graça que queiras receber de Deus.
    • Depois de considerares estes pontos, estás pronto/a para começar a olhar, rezando, para as mulheres da Paixão. Antes de começares, toma consciência de Deus esperando que O encontres neste caminho e de todos aqueles que, em várias partes do mundo, estão a fazer retiro contigo.
  • Introdução

    Betânia era a terra natal de Marta e de Maria
    • No Evangelho de João, a narrativa da Paixão é precedida pelo relato da ressurreição de Lázaro, em Betânia. Todos os evangelhos estão de acordo que no início do que chamamos Semana Santa, Jesus estava em Betânia, que fica a uma milha ou duas de Jerusalém e a tradição é que a entrada triunfal na Cidade Santa, em que as multidões estendiam as palmas a seus pés, partiu dali. Betânia era a aldeia onde viviam as duas irmãs, Marta e Maria e, por isso faz sentido que a nossa reflexão de abertura para o nosso retiro da Quaresma comece com estas duas mulheres.
    • Os acontecimentos da Semana Santa são tão rápidos e dramáticos, que muitos  nem dão conta da figura feminina que aparece logo a seguir, a criada de serviço em casa do Sumo Sacerdote. No entanto, os quatro evangelhos falam nela. As narrativas variam um pouco, mas todos concordam que a primeira negação de Pedro foi provocada pela sua acusação. Há uma lenda – mas sem grande fundamento bíblico – que a identifica com Rosa, a criada da casa onde Pedro se refugia depois de ter escapado da prisão de Herodes, com a ajuda de um Anjo, cena esta que vem descrita no Capítulo 12 dos Actos dos Apóstolos (12, 13).
    • Acusado de blasfémia pelo Sinédrio, Jesus é levado perante o governador romano, Pôncio Pilatos. Enquanto interroga Jesus, Pilatos recebe uma mensagem da sua mulher, relatada num único versículo do Evangelho de Mateus: ”não te envolvas com esse justo, porque esta noite, em sonhos, sofri muito por causa dEle” (Mt 27,19) A tradição afirma que a mulher de Pilatos se tornou seguidora de Jesus, mas em segredo, e que se chamava Cláudia. Acreditando que ela foi agraciada com a fé, é reverenciada peça Igreja Ortodoxa Grega como santa.
  • Continuação da introdução

    Maria de Magdala foi a primeira pessoa a ver o Cristo Ressuscitado
    • As “filhas de Jerusalém” mencionadas por Lucas são, provavelmente, uma associação de piedosas mulheres judias que estiveram na crucifixão e deram a beber à vítima uma mistura de vinho que ajudava a minorar as dores terríveis. Era um acto de caridade e elas “choravam e lamentavam” um condenado que morria segundo a Lei. A resposta de Jesus mostra a sua compaixão e preocupação por elas.
    • Jesus disse às “filhas de Jerusalém” para não chorarem por ele, mas por elas mesmas, pois sabia que, se o mundo continuasse surdo à sua mensagem, haveria certamente grandes dramas. Não nos foi dito o que fizeram com este aviso ou se estas mulheres o seguiram todo o caminho até ao lugar da crucifixão. O que nos dizem todos os Evangelhos é que havia um pequeno grupo de mulheres que permaneceram junto à Cruz, entre elas Maria, sua Mãe, Maria, mulher de Cléofas e Maria de Magdala.
    • Depois da morte de Jesus na Cruz, Maria de Magdala avançou para ver onde iam pôr o seu corpo. João diz-nos que “no primeiro dia da semana, Maria de Magdala foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro”. Ela sai quando ainda estava escuro, talvez cheia de perguntas, mas a sua fidelidade e devoção foram recompensadas.  É a primeira pessoa a ver Cristo ressuscitado, que a chama pelo nome e a envia a contar a Boa Nova aos outros apóstolos. Torna-se a “Apóstola dos Apóstolos”.
  • Fala com Deus

    Quando e onde tiveste uma experiência de encontro com o Senhor?
    • Cada uma destas mulheres, individualmente ou como parte de um grupo, encontra Jesus duma maneira ou doutra. Ao começares este retiro, valerá a pena parar um pouco a considerar quando e onde tiveste uma experiência de encontro com o Senhor. Quais eram as circunstâncias da tua vida nesse momento?
    • Continuando a recordar essa experiência, como é que foi esse encontro? Qual foi o resultado?
    • Finalmente, onde experimentas Deus agora? Onde gostarias de o experimentar mais intimamente?
Página Inicial